Receita #61 — Brownie Vegan

O brownie é um doce, meio bolo, meio mousse.

Enfim, uma perdição!

IMG_6553
Brownie com calda de chocolate | Fotografia: Victor Sebastião, 2017

Continue reading “Receita #61 — Brownie Vegan”

Advertisements

Receita #128 — Cogumelos “à Bulhão Pato”

É possível adaptar pratos da nossa rica gastronomia a versões sem proteína animal.

Esta receita é típica das tardes de verão, mas, ao invés de levar como ingrediente principal a amêijoa, leva cogumelos.

O aroma dos coentros e o limão são uma apoteose para o paladar que este prato nos oferece. Pode ser uma entrada ou uma guarnição ou um prato principal. Como eu gosto de misturar tudo, acabei por utilizar estes cogumelos como recheio de um bolo do caco, cuja foto podem ver neste post.

Espero que apreciem!

Receita #128 — Cogumelos “à Bulhão Pato”

| Propriedades energéticas: proteínas, fibras e minerais

| Tempo de execução: 15 minutos

| Ingredientes:

  • 200 gr de cogumelos marron
  • coentros a gosto
  • 1 colher de café de sal fino
  • 1 pitada de pimenta preta
  • 2 chalotas
  • 1 dente de alho
  • azeite, q.b.
  • orégãos
  • sumo de limão, q.b.

| Preparação:

  1. Pique a chalota e o alho, e aloure na frigideira, com o azeite;
  2. Corte os cogumelos em quartos, junte-os à frigideira e envolva-os no refogado;
  3. Junte as especiarias, o sumo de limão e os orégãos, e deixe cozinhar, por 5 minutos, em lume médio (os cogumelos devem ficar al dente);
  4. Finalize com coentros frescos e sumo de limão.

Receita #127 — Arepas

As arepas são pequenos discos que assamos na frigideira e que resultam num pão fino muito saboroso.

É, pois, um pão típico de alguns países da América do Sul (Venezuela ou Colômbia). Eu provei as minhas primeiras arepas (venezuelanas) há uns anos e fiquei fã. As arepas são obrigatórias na mesa de Natal destes países, dada a importância que têm na gastronomia latino-americana.

Estes pãezinhos não têm glúten.

Então, vamos lá!

Receita #127 — Arepas

| Propriedades energéticas: hidratos de carbono, fibras e minerais

| Tempo de execução: 15 minutos

| Ingredientes:

  • 2 chávenas de farinha de milho fina (fubá)
  • 2 chávenas de água morna
  • 1 colher de café de sal marinho
  • 1 colher de café de alho em pó (opcional)
  • 1 colher de café de ervas aromáticas (opcional)
  • 1 colher de café de creme vegetal à temperatura ambiente (ou amolecido)
  • Patê de cogumelos para rechear (ou outro recheio da sua preferência)

| Preparação:

  1. Coloque a farinha (peneirada), o sal, o alho em pó e as especiarias numa taça e misture bem;
  2. Faça uma covinha no centro e deite o creme vegetal e, aos poucos, vá juntando água e vá amassando, até obter uma massa lisa, homogénea e que não cole nas mãos;
  3. Faça pequenas bolas (60 gr) e leve-as a assar numa frigideira anti-aderente (pode adicionar um fio de azeite); achate-as com a mão, no sentido de formar um disco (também pode fazer o disco em primeiro lugar e depois colocá-lo na frigideira); asse-as de cada lado, por 5 minutos ou até ficarem douradas;
  4. No fim, ainda mornas, pode abri-las ao meio (como se se tratasse de um papo-seco e recheá-las ao seu gosto.

Receita #126 — Pão de “queijo”

Quem é que não gosta de pão de “queijo”?

São uma bolinhas aromáticas e fofas que caem sempre bem — sobretudo, como entrada, enquanto bebemos um trago de vinho e esperamos pelo prato principal.

Fiz esta receita baseada no site Tudo Gostoso e adaptei os ingredientes ao meu gosto. Consegui um resultado muito semelhante aos pães de “queijo” originais e, no dia seguinte, ainda estavam fofinhos e muito saborosos. No dia seguinte, podem voltar a aquecer no forno, ou, até, tostá-los — ficam maravilhosos.

Espero que gostem!

Receita #126 — Pão de “queijo”

| Propriedades energéticas: hidratos de carbono e minerais

| Tempo de execução: 20 minutos

| Ingredientes:

  • 2 chávenas de polvilho azedo (ou doce)
  • 1/2 chávena de farinha de trigo T65 (opcional) — torna a massa mais maleável
  • 1 chávena de puré de batata-doce
  • 1 colher de café de sal marinho
  • 1 colher de café de alho em pó
  • 1 colher de café de levedura de cerveja (opcional)
  • 1 colher de sopa de farinha de linhaça
  • 1/2 chávena de água (morna)
  • 2 colheres de sopa azeite

| Preparação:

  1. Coza as batatas-doce e amasse-as, até obter um puré;
  2. Junte o polvilho, a farinha de trigo (opcional), o sal marinho, o alho em pó e a levedura de cerveja, e envolva;
  3. Adicione o azeite e a água e vá amassando, até obter uma massa que não cole e que seja moldável;
  4. Faça bolinhas, disponha-as num tabuleiro forrado com papel vegetal, com espaço para que possam crescer, e asse-as no forno, pré-aquecido a 170º, por 15 minutos, ou até crescerem e ficarem douradas.

Tão boas que são!

Receita #125 — Alho Francês Espiritual

Esta receita é uma adaptação do Bacalhau à Espiritual.

Pode ser feita com tofu, ao invés do alho francês. Ou até pode utilizar ter os dois ingredientes em simultâneo.

Eu considero que o alho francês funciona muito bem neste prato, devido à sua textura e sabor. Contudo, o tofu é rico em proteínas, por isso, se optarmos pelo alho francês, há que equilibrar o prato, no sentido de o tornar o mais nutritivo possível, para além de saboroso, claro. Podemos, ainda, utilizar frutos secos torrados para a cobertura deste prato, por exemplo.

Esta receita é dedicada a uma amiga especial, a Fernanda Mendonça. Obrigado, Fernanda, pelo sua presença constante e amizade!

Receita #125 — Alho Francês Espiritual

| Propriedades energéticas: fibras, hidratos de carbono, vitaminas e proteínas

| Tempo de execução: 40 minutos

| Ingredientes:

Para o recheio

  • 2 talos de alho francês (ou 250gr de tofu)
  • 1,5 cebolas
  • 1 cenoura (grande)
  • 1/2 courgette
  • 1 folha de louro
  • 4 batatas médias (2 brancas e 2 doces)
  • 1 colher de chá de salsa em pó
  • 1 colher de café de sal marinho
  • 1 colher de café de pimenta preta
  • 1 colher de chá de orégãos
  • Azeite q.b.

Para o molho “bechamel”

  • 2 chávenas de bebida vegetal (utilizei a de arroz)
  • 2 colheres de farinha de trigo integral
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher de café de noz moscada
  • 1 pitada de pimenta preta
  • Raspa de 1/2 laranja
  • 1 colher de sopa de creme vegetal para cozinhar

Para o topping

  • 1/2 broa de milho
  • 1 dente de alho
  • 1/4 chávena de azeite
  • 1 pitada de salsa picada

| Preparação:

  1. Pique a cebola e refogue-a num wok com um fio de azeite e a folha de louro;
  2. Corte o alho francês às rodelas finas e pique a cenoura;
  3. Retire a folha de louro do wok e junte o alho francês e a cenoura, e envolva, por 3 minutos;
  4. Adicione as especiarias (o sal marinho, a pimenta preta e salsa em pó);
  5. Pique a courgette em quadradinhos e junte ao refogado, e deixe cozinhar, por 5 minutos;
  6. Desligue o lume e reserve;
  7. Parta as batatas em quadradinhos e leve-as a saltear numa frigideira com um fio de azeite e uma pitada de orégãos, por 20 minutos ou até perceber que as batatas estão cozinhadas (ficam com a pele ligeiramente tostada);
  8. Desligue o lume e reserve;
  9. Adicione a um tacho a bebida vegetal e a farinha, e mexa até dissolver;
  10. Junte o sal marinho, a pimenta preta e a noz moscada, e leve ao lume, mexendo sempre;
  11. Quando estiver a engrossar, adicione o creme vegetal e continue a mexer, por mais 2 minutos;
  12. Desligue o lume e junte a raspa da laranja e envolva;
  13. Unte um pirex com creme vegetal para cozinhar, despeje o recheio do alho francês, seguido das batatas e, por fim, o molho “bechamel“, envolvendo tudo com cuidado;
  14. Processe a broa (desfarele) em conjunto com o alho, junte o azeite e a salsa, e volte a processar (fica com uma aspeto húmido e muito aromático);
  15. Polvilhe o topo do seu pirex com a broa e leve ao forno pré-aquecido a 170º, por 20 minutos ou até dourar (pode ligar a ventoinha e ir controlando a ver se o pão não queima).

Bom apetite!

Receita #124 — Strudel de Maçã

Eu gosto muito de sobremesas que levam maçã. Somos um país rico em variedades de fruta, sobretudo maçãs, por isso, há que aproveitá-las ao máximo.

O strudel é uma receita austríaca e consiste numa massa folhada que envolve um recheio doce ou salgado. O strudel de maçã é bastante conhecido e é ótimo para os dias frios, pois deve comer-se quentinho.

Esta receita leva as maçãs reineta da zona saloia de Fontanelas.

A massa que utilizo nesta receita é a folhada (ver receita de Massa Folhada), mas também podem utilizar massa quebrada ou areada. É ao vosso gosto.

Receita #124 — Strudel de Maçã

| Propriedades energéticas: hidratos de carbono, fibras, proteínas e vitaminas

| Tempo de execução: 25 minutos

| Ingredientes:

  • Quatro maçãs (reineta)
  • Sumo e raspa de 1 laranja e de 1 limão
  • 1 colher de sopa de Vinho do Porto
  • 2 colheres de sopa de açúcar de cana integral
  • 1 colher de café de noz moscada
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • 1 colher de café de gengibre em pó
  • 1 chávena de frutos secos (nozes-pecã, amêndoas, coríntios, arandos) partidos grosseiramente; reservar uma porção para decorar o strudel
  • 2 colheres de sopa de creme vegetal para cozinhar ou barrar
  • Calda de agave (1 colher de sopa + 3 colheres de sopa de água) para pincelar a forma antes de ir ao forno

| Preparação:

  1. Cortar as maçãs em quadrados pequenos (retirar o caroço);
  2. Adicionar todos os ingredientes num tacho (com exceção da calda de agave e a porção de frutos secos), levar ao lume médio e mexer sem parar, durante 5 minutos, e deixar arrefecer por completo;
  3. Abrir a massa folhada em forma de retângulo e dispor o recheio ao centro, deixando espaço para fechar a massa, quer nas laterais quer nos topos;
  4. Dobrar a massa, de forma a cobrir o recheio, e fazer cortes na massa no sentido horizontal (ver foto, em baixo)
  5. Pincelar com a calda de agave e polvilhar com os frutos secos;
  6. Levar a assar em forno pré-aquecido a 180º, por 15 a 20 minutos ou até a massa estar dourada e estaladiça.

Bom apetite!

Receita #123 — Seitan no forno com batata assada

E eis que chegou a minha segunda noite de consoada com uma alimentação 100% vegan restrita!

Este ano, foi bem mais fácil, pois já domino as proteínas vegetais e torna-se mais claro a forma de as confecionar, tendo em conta a ocasião e o gosto de quem irá degustar a refeição (neste caso, eu e o meu companheiro).

A escolha deste ano foi seitan no forno. No ano passado, fiz roti de seitan e seitan recheado, mas, este ano, decido manter a peça de seitan como base do meu jantar e adorná-la com legumes e tubérculos.

A família ficou surpreendida com o aspeto do tabuleiro, pois parecia uma pá de porco.

É um prato muito fácil de confecionar e tem a vantagem de ser colocado tudo em crú no forno.

Receita #123 — Seitan recheado com batata assada

| Propriedades energéticas: hidratos de carbono, proteínas, minerais e fibras

| Tempo de execução: 45 minutos (+ 20 minutos para apurar)

| Ingredientes:

  • 1 peça de seitan (500 gr)
  • 100 gr de cogumelos marron (pequenos e inteiros)
  • 1 couve-flor pequena
  • 300 gr de batata branca para assar
  • 100 gr de ameixa sem caroço
  • Sumo e raspa de 1 limão
  • 1 laranja fatiada
  • 1 raminho de salsa
  • 1 colher de café de alho em pó
  • 3 pés de cebolinho
  • 2 colheres de sopa de tomilho seco
  • 2 colheres de chá de pimentão doce
  • 1 pitada de pimenta
  • 1 colher de chá de sal marinho
  • 1/5 chávena de azeite
  • 1/5 chávena de água

| Preparação:

  1. Coloque o seitan no centro do tabuleiro e, à volta, disponha as batatas (cortadas em gomos), os cogumelos (inteiros), os brócolos (floretes inteiros e os talos aos pedaços pequenos) e as ameixas;
  2. Faça um molho para regar os ingredientes do tabuleiro com o azeite, o sal, o pimentão doce, o alho em pó e a pimenta e regue;
  3. Regue com o limão (e as raspas) e disponha as fatias de laranja por cima do seitan;
  4. Polvilhe com o cebolinho, a salsa e o tomilho;
  5. Finalize, regando com água apenas despejando-a com cautela nas extremidades do tabuleiro;
  6. Asse em forno pré-aquecido a 180º, por 45 minutos; vá regando o seitan, de vez em quando, e, ao mesmo tempo, aproveite e remexa as batatas, os brócolos, os cogumelos e a ameixa;
  7. Deixe arrefecer um pouco antes de fatiar o seitan.